Corretor Autorizado

(31) 2565-5505

(31) 99393-0227

UTILIZE SEU FGTS PARA LANCE NO CONSORCIO DE IMÓVEL

O Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS) é um benefício que, desde 1966, garante vantagens àqueles que o possuem. Em contrapartida, é também o causador de muitas dúvidas em seus beneficiados, principalmente quando se diz respeito à sua utilização. Sua utilização tem sofrido diversas alterações com o passar dos anos, e a dúvida em relação ao uso do FGTS dentro da negociação de consórcios de imóveis encabeça a lista de dúvidas, aparecendo com mais frequência.

Desde 2009 existe a possibilidade de utilizar seu fundo de garantia como parte financeira de consórcios imobiliários. Essa utilização pode ser feita de diversas formas: por amortização, liquidação de saldos de dívidas ou pagamento de parte das prestações. Os documentos e a papelada referente aos negócios são completamente importantes, mas antes de tudo isso se deve prestar atenção em alguns requisitos pré-estabelecidos devem ser obedecidos:

1. O trabalhador beneficiado deve ter no mínimo três anos trabalhados, com seu FGTS depositado (por uma ou por mais empresas em que atuou);

2. A cota de consórcio (a participação individual de cada componente de um grupo de consórcio) para que se adquira o imóvel deve obrigatoriamente estar em nome do trabalhador beneficiado;

3. Quando o beneficiado for adquirir seu imóvel, não poderá constar em sua conta qualquer financiamento ativo no Sistema Financeiro de Habitação (SFH). Isso vale dentro de todo o território nacional;

4. O beneficiado responsável pela titularidade da conta de FGTS não deve ter como propriedade nenhum imóvel na região onde reside ou na região do local em que trabalha.

O imóvel que será objeto principal dentro do consórcio também deve cumprir algumas exigências para que todo o processo seja bem sucedido. Confira quais são:

1. O imóvel que se pretende comprar por meio do consórcio precisa devidamente fazer parte da área urbana da cidade;

2. Esse imóvel deve necessariamente ter registro no cartório, em nome do beneficiado que também é titular da conta do fundo de garantia;

3. O imóvel deve ser avaliado e essa avaliação não pode exceder o limite de valor. Isso vale para todas as operações financeiras do SFH (o valor de R$ 650 mil é para a data atual e os estados de São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais e o Distrito Federal possuem um valor diferenciado, sendo esse limitado a R$ 750 mil).

Ao optar pelo uso do consórcio para adquirir um imóvel, o saldo do fundo de garantia do trabalhador pode sim ser utilizado. Isso pode ser realizado por meio de uma oferta de lance para que se possa obter a carta de crédito. Há também a possibilidade de complementar o valor da carta de crédito, cedida ao trabalhador para que ele possa comprar o seu imóvel próprio.

Importante salientar que o saldo a ser utilizado é vinculado ao FGTS do comprador. Este saldo pode fazer parte da negociação e ser utilizado para amortizar, liquidar o saldo devedor e também efetuar o pagamento de uma parte das prestações que são adquiridas nos sistemas imobiliários de consórcio.
 

Confira também:

10 motivos para fazer um consórcio

5 Erros para evitar a dor de cabeça ao contratar um consórcio de veículos.

7 coisas que você precisa saber ao fazer um consórcio



Faça uma simulação

Preencha o formulário abaixo.

												
													
												
												
													
												
												
													
												

Prometemos não utilizar suas informações de contato para enviar qualquer tipo de SPAM.